Nova Era: Manifestação de Atraso

16 dezembro 2009

Escrevo neste momento em repúdio atrasado à manifestação “pacífica” executada por moradores da cidade de Nova Era – MG, que fechou nesta segunda-feira 17 a rodovia BR-381 durante cerca de oito horas.

De acordo com o Jornal O Tempo, “moradores da cidade estão contrariados com a administração municipal. Eles atearam fogo em pneus, espalhados por toda a rodovia, no sentido da cidade de São Domingos do Prado. Até às 20h20, a manifestação seguia pacífica e sem registro de feridos.”

Mas hein?

Manifestação pacífica? Poderia ser trocado para “não-violenta”, mas de modo algum uma BR bloqueada pode ser considerada parte de ação pacífica.

E o que é que uma rodovia federal, que por acaso corta a cidade, tem a ver com a administração municipal? Por que é que um morador de Ipatinga ou qualquer outra cidade tem que ficar 8 horas dentro de um ônibus, esperando os manifestantes de-sequestrarem a rodovia? É um ato de terrorismo em estrada federal, vai dizer que ninguém foi preso?

Você quer manifestar contra o prefeito da sua cidade? Vai na porta da casa dele, oras! Tenho certeza que alguém sabe onde fica. Mas você não precisa indispor milhares de pessoas que estão apenas por acaso passando na frente da sua cidade, que por sinal se desenvolveu devido à rodovia. Isso só aumenta nosso repúdio por tal manifestação de atraso por parte de alguns radicais que atrapalham a vida de gente do Brasil inteiro pra ter suas demandas atendidas.

Eu não posso ajudar vocês, novaerenses, novaeranos ou o que seja. Eu não moro aí. Fechar a estrada para a capital é um crime, sim, e nenhuma boa intenção diminui as consequências que podem ter existido pra milhares de pessoas e centenas de cargas que chegaram oito horas atrasadas ao seu destino.


O Novo Grande Debate

15 dezembro 2009

Em 2002, o Dream Theater lançou o álbum duplo “Six Degrees of Inner Turbulence”, que ainda estou absorvendo aos poucos. Comecei por “The Great Debate”, uma pérola de 14 minutos que fala sobre a discussão na sociedade em torno das células tronco.

Na introdução da música, podemos perceber entrevistas rolando em estéreo. De acordo com os comentários no SongMeanings, os pontos de vista da esquerda e da direita são representados nos respectivos canais. Eu consigo entender a maioria dos comentários, e acho essa música simplesmente genial.

Num dos comentários, uma âncora de jornal diz: “Uma enquete feita pela Gallup* imediatamente após o discurso do presidente George Bush sobre células-tronco na noite passada**  mostra que 50% dos americanos aprovam sua decisão, 25% desaprovam, enquanto outros 25% não estão certos do que pensar”.

*: Gallup é uma empresa americana especializada em opinião pública, algo como o nosso IBOPE.
**: O discurso de Bush criava diversas barreiras para as pesquisas em células-tronco, de maneira a quase impossibilitar sua realização. Foi dito, na época, que Bush queria agradar a extrema-direita conservadora do Partido Republicano.

Temos um novo Grande Debate agora. O assunto é Copenhague, e as pessoas não sabem o que está acontecendo. Só sabem que nossos líderes estão discutindo a possibilidade de refrear as emissões de carbono. O que ninguém sabe é como isso será feito.

“Humankind has reached a turning point”

O aquecimento global, contudo, é real. As pesquisas em células-tronco foram largamente criticadas por não oferecerem provas que funcionariam. Na própria música do Dream Theater temos um argumento direitista que diz “Onde está a prova?” Até hoje são discutíveis os reais benefícios dessa pesquisa, mas temos que dar o braço a torcer num aspecto: SEM PESQUISA, NÃO HÁ PROVA. Como podemos chegar a um resultado sem testar hipóteses, desenvolver técnicas, sem efetivamente pesquisar?

Continue lendo »


%d blogueiros gostam disto: