“Sua senhora, a minha tá lá em casa”

30 agosto 2010

Já ouviram a frase desse título em algum lugar?

Na verdade, formatando direitinho, ela é assim:

SUA senhora, a minha tá lá em casa!”

Já tem um tempo que eu fico com essa frase na minha cabeça.

Um amigo me contou a seguinte estória.

Ele estava trabalhando em uma empresa de informática aqui de Ipatinga.

Num certo dia, ele estava conversando informalmente com outros funcionários e com o chefe.

Em dado momento, ele exclamou “Nossa senhora!”

O chefe, evangélico fervoroso, de pronto rebateu com a frase acima.

Meu amigo ficou perplexo, mas deixou pra lá.

Afinal de contas, ele não é católico fervoroso.

É o que chamamos de “católico não-praticante”.

É aquele católico de criação, sabe rezar o pai-nosso e ave-maria, etc.

Não ficou muito chocado com o ocorrido.

Inclusive, ele me contou meio que rindo e meio sem graça.

Na época já achei aquilo esquisito.

Não sou católico, veja bem.

Mas sei reconhecer intolerância.

Quando alguém diz “Nossa senhora!”, normalmente está espantado, ou assustado, ou até rindo de algo.

Não é como se dissesse “Nossa Senhora, protegei de todos os males este teu servo e perdoai os infieis como os de outra religião que agora me escutam”.

Mas o interessante é que muita gente deve ouvir assim.

Dizem que religião não se discute.

Mas intolerância religiosa deve ser discutida.

Não são todos os evangélicos que são assim.

Mas alguns intolerantes acabam por fazer a fama.

Minha irmã mais velha se converteu ao evangelho alguns anos atrás.

Ela está cada vez mais envolvida com a Igreja.

Se isso faz bem pra ela, é ótimo.

Eu tenho minha religião, e sei o quanto é bom.

Acho que as pessoas estão se tornando muito religiosas.

Só que estão perdendo a empatia.

Empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro.

Minha irmã pegou a mania de dizer “Misericórdia!” para tudo.

Assim como as pessoas dizem “Nossa senhora!”

É o “Nossa Senhora” dos evangélicos.

Se você é evangélico, imagine se toda vez que você dissesse “Misericórdia” alguém te perguntasse:

“Misericórdia de quê? Tem alguém querendo te matar aí?”

Tá vendo?

Tolerância é importante.

Não sou letrado na bíblia, mas acredito que Jesus e tolerância tinham alguma relação.

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: