Do Netscape ao Twitter, Parte 1.

30 março 2009

E aí pessoal!

Segunda-feira, como explicado no post anterior, é dia de internet. Hoje vou falar um pouco sobre a evolução da internet, que testemunhei através dos CHATs, ou BATE-PAPO pros saudosistas.

Comecei a navegar pela internet em meados de 1995, numa conexão discada. A rede era bem menos amigável. O primeiro navegador que usei se chamava Netscape, que tinha uma fatia considerável do mercado na época. Estamos falando de uma época em que o Internet Explorer não vinha junto do Windows 3.11, e o provedor de internet ESTAMINAS (que viria a se chamar Uai) cedia o disquete de instalação do Netscape, aquele saudoso “N” surgindo por trás do globo terrestre por incontáveis segundos minutos enquanto se esperava a página carregar.

Internet em 1996

Internet em 1996

Pode parecer saudosismo, mas só quem conheceu a internet discada daquela época sabe do que se trata. Não é nada parecido com o que temos hoje. Hoje, a internet discada é lenta. Antes, era mais. Seu modem é 56k? O meu era 9.6k. Conexão discada demora uma hora pra abrir Youtube? Em 96, ver vídeos na internet era algo impensável. Animação, era GIF animado. E era o máximo.

Não existia um programa de chat como o MSN Messenger. Muita gente conhece apenas este modelo de bate-papo, sendo que antigamente a gente conversava no Bate-Papo do Estado de Minas e posteriormente do UOL. Bate-papo no navegador, um monstro edificado em refreshes e scripts. Fiz muitos amigos nesse modelo de Chat.

A primeira grande revolução que experimentei no modelo de chat foi o The Palace¹. Muita gente fala abismada como o Second Life e afins mudaram o mundo virtual, etc. Mas o Second Life nada mais é do que o The Palace em interface 3D, e todas as implicações possíveis. Fui buscar uma screenshot do programa e vi que não estou sozinho nessa teoria.

Um universo de Smileys...

Um universo de Smileys...

Me lembro que em 1997 fiz minha primeira compra pela internet, e foi justamente um registro do The Palace. O software era gratuito (como ainda é hoje), mas você só podia editar seus props (que eram as roupinhas que seu avatar vestia) e fazer seus próprios se fosse um usuário registrado. Comprei usando o cartão de crédito do meu pai. Custava US$19,99 só que devo ter pago uns R$17,00! Pra quem não lembra, o dólar valia noventa centavos de real.

Utilizei o Palace bastante tempo até descobrir o mIRC. Não lembro como fui iniciado no mIRC. Mas foi uma das melhores plataformas de amigos virtuais que já tive. Inclusive, pelo menos dois grandes amigos meus foram feitos com a ajuda deste programa (Amanda e Gustavo, para nomear). O mIRC era um chat baseado em “canais”, que era o nome dado às salas. Lembro do #vale_do_aco, primeiro canal de IRC aqui da região, que contava com uma galera bem animada… a gente fazia IRChurrasco, IRCfutebol (nome estranho né) e diversos IRContros…

Hoje o mIRC é praticamente um dispositivo P2P, usado majoritariamente para trocas de arquivos. Um dos mais populares instrumentos de conversação até 2003, foi perdendo sua função para os mensageiros instantâneos. Quando o spam começou a pegar no mIRC, ficou difícil entrar em canais grandes como #brasil sem algum bot de vírus tentando te enviar algo. Aí as pessoas quiseram mais privacidade. Chegamos à era do Instant Messenger.

Semana que vem: A ascensão e queda do ICQ e o monopólio ilegal do MSN Messenger (como sempre, Microsoft).

¹: Fiquei abismado ao descobrir que o The Palace ainda existe! E na página ainda diz, “since 1995”, deu uma nostalgia fortíssima! Ainda volto lá pra fazer um Post nostálgico!


%d blogueiros gostam disto: